FASCINANTE

25/09/2017

UM GOSTOSO PASSEIO NO CAMPO

Um passeio pelo campo... bosques... animais silvestres...
um regato rumorejante... São bençãos de Deus...
Ósculos e amplexos,
Marcial

UM GOSTOSO PASSEIO PELO CAMPO
Marcial Salaverry

Uma das melhores terapias que existe para um esfriamento de cuca, quando precisamos nos livrar do stress a que somos conduzidos em nosso dia a dia normal, é sem duvida um gostoso passeio pelo campo.

Se tivermos oportunidade de passar alguns dias que seja durante o ano em uma fazenda, por exemplo, ou mesmo em um pequeno sítio, onde possamos estar em contato com a vida campestre, podendo usufruir das maravilhas que a Natureza nos oferece, teremos certamente uma oportunidade única para promover um gostoso reciclamento em nossa vida.

Imaginem as delícias de ouvir pela manhã, logo cedinho, ao invés do barulhento despertador ou do rádio relógio despejando notícias de crimes e corrupção em nossos ouvidos, escutar o distante mugir de uma vaca, ou o gostoso canto matinal de belo galo de cristas coloridas. Sem dúvida, um gostoso despertar, e depois, uma visita ao curral, para tomar aquele leite quentinho, diretamente da fábrica para o consumidor, o que sem dúvida, é uma verdadeira delícia, e ainda podemos dar um ligeiro toque de cidade, colocando um pouquinho de conhaque nesse leite, mas fica o aviso para quem não está acostumado, ainda pode dar um ligeiro desarranjo intestinal, mas o prazer de bebê-lo, compensa uma eventual ida forçada ao sanitário...
No campo, até o cheiro ocasionado pela famosa "bosta da vaca", tem algo como perfume natural, e para tanto, basta um pouco de boa vontade, e incorporação ao ambiente, e depois do gostoso café matinal, com o tradicional pão caseiro, feito no forno a lenha, isso já está deixando  com água na boca, só lembrando, depois vamos a um gostoso passeio, visitando o chiqueiro dos porcos. A visão daqueles leitõezinhos de pele rosada, faz-nos repensar na vontade de deglutir um gostoso leitão a pururuca, pois os bichinhos são tão graciosos, que tira a vontade de comê-los, assim, para quem gosta demais do bichinho em sua segunda etapa, desaconselho a visita ao chiqueiro...

Depois de uma bela caminhada matinal, respirando aquele ar tão puro, limpando nossos pulmões da poluição das cidades, aproveitando aquela visão das campinas verdejantes, dos pastos cobertos de capim gordura, da beleza dos milharais que se estendem a perder de vista, sentar à beira de um regato rumorejante, deixar que nossos olhos se percam no movimento sinuoso de sua água sempre a correr "chuá, chuá... chué, chué... parece que alguém, que cheio de mágoa..." Bem, o pensamento voa, e assim as recordações assaltam a memória,  e a vontade que dá, é pedir ao Amigão que pare o tempo, que "pare o mundo que eu quero descer"...

Mais tarde, com a alma lavada e enxaguada, e a barriga já roncando, vamos ao tradicional almoço, aquela comida feita em panela de barro e fogão a lenha, faz sair água da boca...

A nova visão do leitãozinho, faz esquecer as disposições matinais, e isso sem falar naquela pinga vinda do alambique doméstico, e  depois, a visão daquela rede balançando, esticar o corpo e ficar apenas apreciando aquele verde que se estende a perder de vista, os olhos se fechando, porque ninguém é de ferro...

Ao cair da tarde, caminhar até chegar àquele outeiro, para apreciar melhor o maior, e mais lindo espetáculo da Terra,  a maravilha que é um por do sol no campo, algo que não dá para descrever, só vendo mesmo, e mais ainda, com o coração não cabendo dentro do peito, ver o breve e romântico encontro do sol com a lua, que vai tomando o lugar do seu amado sol, as estrelas que vão surgindo, é uma emoção difícil de ser controlada, e é com olhos molhados pelas lágrimas teimosas que insistem em descer, que voltamos para a fazenda, para o famoso lanche da noite, e dormir ainda não totalmente refeitos das emoções vividas, e que serão repetidas no dia seguinte, e  que irão se iniciar com o indescritível espetáculo que nos dá o sol, quando reassume sua posição no firmamento.

Claro que também existe a chuva, mas fica para outra vez, hoje, seja no campo ou onde for, espero que todos tenhamos UM LINDO DIA, e que possamos repeti-lo a cada dia de nossa vida...

24/09/2017

A FLOR DO AMOR

 
Para descobrir o amor,
não é preciso despetalar uma flor...
Basta abrir o coração,
e fazer-lhe a indagação...

A FLOR DO AMOR
Marcial Salaverry 
Se vais despetalar uma linda flor,
para saber se encontrou o amor,
digo-te que precisa disso não...
Basta consultar o coração...
Ele saberá,
e certamente te dirá
por quem ele bate mais forte,
num ritmo descompassado
e talvez, até apaixonado...
Sendo isso algo que te importe,
saber quem teve essa sorte,
de teu amor ganhar,
por quem fostes se apaixonar...
É preciso saber quem é teu eleito,
esse homem perfeito,
que conseguiu te conquistar,
numa felicidade sem par...
Ele ficará feliz com certeza,
de saber que conquistou essa beleza. ..
E poderá acabar com tua saudade,
deixando-te na felicidade...
Quem será? Onde poderá estar?
talvez em teu coração com certeza,
está esse alguém tão especial... 
 
Marcial Salaverry

 


UM ENCONTRO DE LUZ

Uma amizade leal e sincera...
Um sentimento nobre...
Um encontro de luz...

UM ENCONTRO DE LUZ
Marcial Salaverry

Um encontro de luz,
apenas um sentimento iluminado,
pleno de amizade o produz...
Não é preciso muito cuidado,
quando existe uma sincera amizade,
um sentimento bom de verdade...
Uma linda amizade poetal...
o que pode trazer de mal?
Apenas um ao outro se deseja o bem...
Ninguém pensa fazer mal a ninguém...
Beijos trocam-se,
corpos abraçam-se...
Um beijo na mão,
alegrando o coração,
em sinal de bem querer...
Eis a base de uma amizade pra valer...
Um brinde à nossa amizade,
algo que nos trará felicidade...

SERÁ QUE REALMENTE SOMOS INCOMPREENDIDOS?

Será que realmente somos incompreendidos,
ou não nos sabemos fazer entender?
Osculos e amplexos,
Marcial

SERÁ QUE REALMENTE SOMOS INCOMPREENDIDOS?
Marcial Salaverry

Esta é uma pergunta que não quer calar, pois em nosso entendimento, algo que chama a atenção, é a falta de compreensão com nossos problemas. Por mais que tentemos nos explicar, não nos compreendem. Algo de que muito nos queixamos, é da incompreensão dos outros, e assim julgamos que ninguém nos entende.  Somos sempre atentos, carinhosos, cheios de boa vontade, mas não somos compreendidos, e não recebemos de volta toda essa atenção, e muiitas vezes reclamamos de que a pessoa de quem gostamos não nos entende, e por mais que tentemos manter um diálogo, ela não consegue nos entender.

Agora vem a pergunta fatídica. Será que é ela que não nos entende, ou nós é que não estamos conseguindo nos explicar convenientemente?  Muitas vezes esperamos que as pessoas a quem nos dirigimos tenham a perfeita compreensão do que queremos dizer, mas por um motivo ou outro, não conseguimos nos fazer entender.  E nos magoamos pela “incompreensão” alheia, quando na realidade a falha de comunicação pode ser nossa.  O ponto mais importante é nos entendermos a nós mesmos.  Amarmo-nos.  Conhecermo-nos.  Entendermo-nos.  Assim, conseguiremos ser amados, conhecidos e entendidos. Se não  nos explicamos convenientemente, não poderemos ser entendidos...

Vejam que pensamento genial de Richard Bach a esse respeito:
"Durante muitos anos esperamos encontrar alguém que nos compreenda, alguém que nos aceite como somos, capaz de nos oferecer felicidade apesar das duras provas.
Apenas ontem descobri que esse mágico alguém é o rosto que vemos no espelho."
Bem claro, não? Meu amigo Ricardinho matou a pau, pois verdade seja dita, como será possível sermos amados, queridos, compreendidos, se sequer nós mesmos conseguimos fazê-lo?

O exercício da auto estima  é uma das coisas mais importantes que existe.  Um dos melhores desses exercícios, é olhar-se no espelho, e aprender a gostar da pessoa que está na sua frente, apesar do rosto não estar exatamente dentro  do que se entende por beleza física.  Mas é o NOSSO rosto, é esse que temos, e que iremos aguentar o resto da vida (claro que sempre existe o recurso de uma plástica, mas esse é outro detalhe).  E se teremos que conviver com ele, que tal uma convivência pacífica? Ache-o lindo.  Frankestein achou-se. Por que também não poderemos achar-nos? E o mesmo podemos dizer a respeito do corpo. Com ou sem barriguinha (ou barrigão). Se não gostarmos, poderemos fazer um regime, ou então comer mais um pouco se precisarmos ganhar mais alguma coisa. Mas o que é realmente importante, é nos aceitarmos como somos, e assim,  nos gostarmos como somos. Não poderemos nos espelhar em outros tipos de beleza.

Isso acontecendo, nos será mais fácil começar a entender e a amar as outras pessoas em nosso redor, e automaticamente, seremos mais facilmente compreendidos e amados.

Então, corroborando nosso amigo Richard Bach, a primeira pessoa que deve nos amar, que deve nos entender, é aquela simpática e linda pessoa que sempre estará diante de nós, quando nos miramos no espelho. Conseguindo isso, é meio caminho andado para que outras pessoas também sintam a mesma coisa a nosso respeito. Amor atrai amor. Compreensão atrai compreensão, e antes que alguém argumente dizendo que se ama, mas não encontra namorado (a). é tudo uma questão de oportunidade.  Você está no caminho certo. Só falta acontecer de cruzar com a fatídica outra metade, mas continue se amando, que as coisas poderão acontecer com mais facilidade. O importante é jamais desistir. Não se pode entregar os pontos à primeira contrariedade.

Não adianta ficar reclamando da vida, pois teremos mesmo que vive-la. E é bem melhor uma coexistência pacífica.
Enquanto isso, que tal termos todos UM LINDO DIA, e com esse tipo de pensamento, podermos repetir esse LINDO DIA, durante todos os dias de nossa vida...

Como é Grande o Meu Amor por Você Marcial Salaverry C M

23/09/2017

A DOCE MAMÃE HIPOPÓTAMO


Hipopótamos podem ser animaizinho muito dóceis...
Mas... Nem sempre...
A DOCE MAMÃE HIPOPÓTAMO
Marcial Salaverry

Hipopótamos, apesar de seu tamanho,
são animais dóceis e pacíficos...
Em seus banhos de rio,
reunem-se em alegres grupos,
e, com incrível alarido,
anunciam que estão em seu
passatempo predileto,
tomando um gostoso banho no rio...
E que ninguém tente por lá passar,
pois os bichinhos podem se chatear...
Enquanto os papais e as mamães
compartilham do banho e dos folguedos,
os filhotes ficam na margem,
como garotos bem comportados...
Mas se alguém menos avisado,
tenta de um filhote se aproximar,
para numa foto guardar
uma lembrança do bichinho,
certamente vai arranjar encrenca...
Tente explicar suas intenções
para uma irada mamãe
de algumas toneladas,
que não é bem o que ela está pensando...
Tem que ser muito rápido para correr
e mergulhar dentro de uma Kombi,
cheia de gente apavorada,
com medo da mamãe zangada...
Depois, foi motivo de risada...
Mas no momento,
Pernas, pra que te quero...
Imaginem como ficaria a pobre Kombi,
se a doce senhora a abalroasse...

Lembranças de uma tarde às margens do Rio Kivu...
A mamãe não soube entender que eu só queria uma foto...
 

PRIMAVERA... FIM DE INVERNO

PRIMAVERA... FIM DE INVERNO
Marcial Salaverry

A Primavera, com suas cores,
com seus deliciosos odores,
enchendo a Natureza de beleza,
nos dá a absoluta certeza 
da presença de Deus...
Marca o fim do Inverno,
e é a preparação
para a chegada do verão...
Traz mais alegria para a vida,
marcando o fim do frio,
e começo do calor...
A Primavera, é uma das provas 
da presença de Deus em nosso coração,
pois não se explica de onde vem tanta beleza,
que com a mais absoluta certeza,
é a mais linda criação de Deus...

A FORÇA DA NATUREZA

A FORÇA DA NATUREZA
Marcial Salaverry

A força da Natureza,
se manifesta, ora com suave beleza,
como no desabrochar de uma flor,
no nascimento de um animal...
ou então deixando-nos extasiados,
com o espetáculo sem igual
do nascer ou o por do sol...
A maravilhosa beleza
que encontramos em uma noite de luar...
Coisas da Natureza...
as estrelas e sua beleza sem par...
O movimento das marés,
subjugados à força lunar...
As plantas, crescendo lindas e viçosas,
as árvores, com sua sombra benfazeja,
e também dando-nos frutas gostosas...
Também quando fica enraivecida,
provocando tempestades, furacões,
tornados, raios e trovões...
é um espetáculo belo,
perigosamente belo...
A lava que escorre quando da explosão
de ira da Mãe-Terra, pela boca de um vulcão...
Belo... terrivelmente belo...
Temos que saber ver a Natureza,
em sua inexcedível beleza...
Seja quando na suave tranqüilidade
de uma romantica noite de luar,
seja na furia de uma tempestade,
que nos obriga a um abrigo procurar...
Seja na beleza incrível de um pico nevado,
seja na fúria incontrolável de um vulcão,
quando ocorre sua erupção...
Sempre fico mirando extasiado,
todas as manifestações da Mãe-Natureza,
perco-me na contemplação de sua beleza...
e me ponho a devanear...
e com o amor a sonhar...
Precisamos aprender a amar

e a respeitar a nossa Mãe Natureza...

Marcial Salaverry

É PRECISO APRENDER A CONVIVER



Conviver numa boa...
Como é dificil ao longo do tempo,
conseguir essa mútua aceitação...
É necessário que haja compreensão e diálogo...
Osculos e amplexos,
Marcial
 
É PRECISO APRENDER A CONVIVER
Marcial Salaverry

Quase todo início é gostosamente igual... Conheceram-se. Sentiram-se atraídos. Passaram para o namoro, que é uma fase linda gostosa, quando os desejos são ordens. Encontros marcados. Ele sempre se apresenta arrumado, ela também se enfeita, se prepara para os encontros. Ninguém quer decepcionar ninguém. É a mulher dos meus sonhos. É o homem de minha vida. Sempre nos amaremos.
"Onde voce quer ir, meu bem? Ah! Voce é quem sabe,  onde voce quiser..." É o que mais escuta, pois estão sempre procurando agradar-se mutuamente. Um casal perfeito. "Como eles se entendem bem..." É o consenso geral. Assim é todo inicio de relacionamento.
Passo seguinte, casamento. Festa. Lua de Mel. Primeiros tempos, sempre aquele mar de rosas, continuação do namoro, dos desejos satisfeitos, das vontades solicitadas, dos dengos, dos carinhos. Mas já aqui começam a aparecer as primeiras divergências, as primeiras arestas a serem aparadas, e é aí que a porca começa a torcer o rabo, começando o amor a provar-se e a provar a que veio. Nessa fase, é que se torna necessária uma boa conversa, para trocar opiniões, verificar divergências de pensamento, antes que elas se desenvolvam. Desde o início é necessário que se conheçam as respectivas personalidades.
Depois começa a fase mais importante. A convivência. É nessa fase crítica, que a união ou se solidifica ou se esboroa, uma vez que, nessa fase das descobertas da real personalidade de cada um, o que só a convivência traz, é que se pode descobrir se ambos se amam realmente, ou se simplesmente se gostavam, se sentiram atraídos. Se há aquela afinidade necessária para uma vida em comum, ou se houve apenas uma atração física, ou mesmo química,algo que pode desaparecer clom a convivencia...
Claro que divergências tem que existir, pois são duas personalidades diferentes. Elas devem e podem ser acertadas. Para tanto é importante que haja muito diálogo entre o casal. É através do diálogo que se poderão conhecer intimamente. Que poderão se descobrir, e aparar as arestas, antes que elas machuquem.
Devem, através do diálogo, aprender a se conhecer e a se respeitar. O espaço de cada um deve ser sempre respeitado. Existem limites que não devem ser ultrapassados. Se houver Amor mesmo, tudo será superado e acertado, permitindo uma convivência longa e feliz.
Vejam que pensamento feliz que minha querida L'Inconnue (é a irmã do L'Inconnu) nos trouxe hoje:
"É fácil trocar palavras, difícil é interpretar os silêncios...
É fácil caminhar lado a lado, difícil é saber como se encontrar...
É fácil beijar o rosto, a boca, difícil é chegar ao coração...
É fácil apertar as mãos, difícil é reter o seu calor...
É fácil sentir o amor, difícil é conter a sua torrente!"
Aí está o verdadeiro segredo da convivência. Tem-se não somente que interpretar as palavras que são trocadas, mas também saber "escutar" os silêncios. Muitas coisas são ditas quando não são faladas. Esse silêncios devem ser interpretados e conversados, pois o calar-se nem sempre é consentir. Muitas vezes quando alguém se cala pode ser sinal de uma divergência séria que poderá atrapalhar o relacionamento. Para isso é importante sempre haver um diálogo franco, honesto e aberto.
Caminhar ao lado de alguém é uma coisa... Saber encontrar sua alma é outra. Precisamos sempre conhecer bem a alma de nossa parceria, para que seja uma real parceria, e não apenas uma dupla. Esse é outro segredo da convivência. Procurar conhecer bem a alma um do outro. Para saber até onde vão os limites de cada um.
Nesse ponto, chega a ser uma vantagem o conhecimento virtual, pois primeiro se conhece a alma, as condições "afínicas", para depois chegar-se ao conhecimento físico.
Mas sempre é necessário que haja sinceridade no relacionamento. Surpresas desagradáveis sempre devem ser evitadas. Ninguém deve usar de artifícios, pois as mentiras mais cedo ou mais tarde serão descobertas, e ninguém gosta de ver que foi iludido em sua boa fé. Apresentem-se como são. Mostrem sempre sua real personalidade, evitando problemas futuros...

Como eu quero bem a todos, sinceramente, desejo que tenham UM LINDO DIA, podendo repeti-lo a cada dia de sua vida...

22/09/2017

VOZES DA PRIMAVERA

A Primavera nos fala à alma, ao coração...
Saibamos escutá-la...
VOZES DA PRIMAVERA
Marcial Salaverry

Vozes da Primavera... Saibamos ouvi-las...
Em nossa alma... Saibamos senti-las...
Trazem encanto para nossa vida,
dando-nos até uma sobrevida...
A primavera deixa o ar pleno de odores,
embelezando o mundo com suas cores...
Deixemos nossa alma flutuar,
em seus eflúvios navegar...
Sabendo apreciar toda essa beleza,
da vida tiramos a tristeza...
Vivendo a vida com alegria,
sabendo sentir a felicidade ao nascer do dia,
encarando com otimismo seu transcorrer,
entenderemos como é bom viver,
e saber sobreviver...
Vozes da Primavera... Saibamos ouvi-las...
Em nosso coração senti-las...
Deixando uma profunda sensação de
Paz e Amor nos dominar,
e assim a vida, e na vida, muito amar...

Marcial Salaverry